Archive for October, 2008

Les délices de Bretagne

Wednesday, October 29th, 2008

On a reçu il y a quelques jours une colis de France. C’était de une amie française de ma épouse, et le contenu a fait notre jour! C’était des boites de Gavottes crêpes dentelles, une merveilleuse délice Bretonne que j’adore!

[foto]

En plus, il y avait aussi une boite de biscuits de Bretagne, et une petite boite de caramels.

[foto]

J’ai pas encore goûté les caramels, mais les biscuits son très, très bons! Ils était très bons, parce qu’on les a déjà mangé… Ma petite fille a aussi aimé les biscuits, et ne voudrait plus ses biscuits pour bébé. Comme je la comprend!…

Merci Cecile!

Magia de principiante

Monday, October 13th, 2008

Consegui arranjar um bocadinho para ir à pre-release de Shards of Alara em Mira (no Alpendre), e jogar um bocadinho de Magic: the Gathering. Deu para matar saudades, apesar de não ter ficado até ao fim, mas foi vergonhoso: não ganhei um único jogo (let alone uma ronda), e em um ou dois deles não durei 5 turnos. Ai.

Primeiro fiz um deck com pouquíssimos terrenos (12 para 41 cartas), e cartas de todas as cores. Apesar de ter alguns artefactos a criar mana, na primeira ronda apanhei porrada até mais não. Verdadeiramente de principiante.

Ok, rebuild. 18 terrenos desta vez, criaturas pequenas e muitas mágicas. Asneira! Neste formato, é muito comum fazer muitos turnos e ter muita mana. Com criaturas 3/3 e 5/5 em cima da mesa (do outro lado), o meu jogo era sempre a tentar não perder (o que eventualmente acontecia). Uma criatura 1/1 a entrar ao turno 14 não serve de muito (a não ser que já tenha mais 7 dessas um jogo), e o meu oponente lidava sempre com elas facilmente.

Calhou-me uma Mythic Rare, o Lich’s Mirror. A carta tem piada, usei-a duas vezes para fazer reset ao meu jogo porque estava a perder e quase não tinha criaturas na mesa. Mas não servia de nada; o Lich’s Mirror leva-me mesmo para o ínicio, sem nada na mesa. Em contraste, o meu oponente tinha já algumas criaturas apontadas a mim e montes de terrenos, o que fez com que não me aguentasse mais de 3 turnos. O Lich’s Mirror tem de ser jogado com um deck que funcione com ele; temos de deixar permanentes em jogo (roubadas ao adversário, o espelho só limpa o que é nosso), e a nossa mão típica tem de aguentar um “arranque a meio” (criaturas rápidas a entrar e principalmente inbloqueáveis). Não é fácil, mas podemos ter uma segunda oportunidade, principalmente se o oponente já estiver fraquinho.

Enfim, já não jogava Magic há anos, mas mesmo assim foi um desastre. Pelo menos toda a gente se divertiu a ganhar-me! 🙂

Como não tenho mesmo tempo para jogar, vou tentar ir à pre-release de Conflux. Vemo-nos lá!

Dá-se router Siemens

Monday, October 13th, 2008

Tenho uma Net nova. Ou melhor, estou finalmente a tirar partido da ligação que tinha, sem problemas.

Vi-me finalmente livre do meu router Siemens Gigaset, que fui obrigado a comprar aquando da instalação da minha linha da Cabovisão. Nunca tive problemas com a Cabovisão em termos de serviço, suporte, etc, mas a minha ligação era uma grande treta em termos de qualidade (desde há dois anos para cá). Ao princípio pensei que fosse culpa do ISP, e não liguei muito. Mas quando comecei a ter problemas apenas em uma ou duas máquinas na rede (e também em alguns protocolos específicos, tipo AFP), comecei a suspeitar da minha rede.

O facto do router simplesmente deixar de trabalhar e precisar de um power cycle quase uma vez por semana também me deu uma pista. O AFP do meu servidor era lentíssimo, o meu blog ficou quase parado, até o SSH era lento, enfim, nada funcionava como deve ser. Sempre pensei que nestas coisas era ON-OFF, ou funciona ou não. Mas a Siemens conseguiu fazer um router muito especial! 🙂

Há duas semanas, deixei simplesmente de conseguir aceder ao site do eBay. Nicles, niente, nada, kaput. Foi a gota de água. Então lá consegui arranjar uma horita (entre dar a sopa, trocar a fralda, e cantar mais uma música das Chiquititas à minha princesa) para mudar de router.

O suporte da Cabovisão portou-se muito bem (fui atendido quase instantaneamente por duas vezes) e rapidamente me deram os dados que me faltavam (DNS). Agora o meu Linksys está a trabalhar como um relógio, e tenho a minha Net de volta, mais rápida que nunca, upstream e downstream (é que entretanto houve uns poucos aumentos de velocidade de que nunca tirei partido)!

Alguém quer um router Siemens de borla?

Class.forName( “home.sweet.home” ).getConstructor();

Thursday, October 9th, 2008

Estou a ver que não vai ser fácil encontrar um constructor para a minha casa; a maioria gosta de dar orçamentos de apenas um (1) valor, para terraplanagens e movimentos de terras, construção de fundações, paredes e telhado. Um valor. Não faço a mais pequena ideia do que estou a pagar. E parece que a maior parte das pessoas acha isto normal.

Eu quero saber, pelo menos, quanto custa a mão-de-obra e os materiais. E quanto tempo vai durar a obra. Isto é o mínimo que se pode fazer pelo cliente. Menos que isto é assumir que o cliente paga de olhos fechados.

Porreiro porreiro, era dar orçamentos destes (mão-de-obra, materiais e tempo) para cada fase da obra: terraplanagem e movimentos de terras, fundações, paredes, telhado/telhas. Qualquer constructor tem de ter estes números à sua frente para poder dar um orçamento perto da realidade, competitivo e exequível. E mesmo para planeamento interno da empresa, calendarização de obras, pedidos de material, etc. Se não têm estes números, a empresa deve trabalhar na base do “é mais ou menos isto” e do “puxa pra cima que ficamos sempre a ganhar”. E este método a mim (cliente) não me interessa.

Enfim, talvez eu trabalhe numa área que evolui muito rapidamente, e talvez eu tenha de me adaptar expeditamente a métodos mais modernos e eficientes de trabalho. Acho que não posso assumir que todas as outras áreas sejam forçadas a evoluir assim.

Já não falo das opções de isolamento, tipo de aquecimento central, etc… aí, cada um puxa a brasa à sua sardinha, e a dos outros nunca presta para nada (mesmo que estejam completamente por fora do assunto)!

Ai Portugal…

Ribbit! Ribbit!

Monday, October 6th, 2008

Estou a planear ir à Sapo Codebits!

Um amigo disse-me que o ambiente é porreiro e parece-me uma boa oportunidade para aprender alguma coisa e divertir-me um bocado. Bom, isto se conseguir arranjar férias para ir… acho que marcar um evento destes maioritariamente à semana é… complicado para tipos como eu que têm uma vida preenchida (pessoal e profissionalmente).

Gostei muito das edições da Minho Campus Party a que fui, mas gostava de ver mais programação (jogos não faltavam). Acho que vou gostar muito da Codebits!