Archive for the ‘Gastronomia’ Category

À mesa, com a Mirandesa

Domingo, Novembro 29th, 2009

Não, não estou a falar de uma bonita e atraente rapariga mirandesa… que aposto que as há! :)

Falo de carne mirandesa, biológica, 100% certificada. Comprámos ontem (no Jumbo em Aveiro), hoje foi parte do nosso alomço, e ficámos ma-ra-vi-lha-dos!

Simplesmente grelhada na brasa, 2 minutos de cada lado e hop! Já está! Estava mesmo au point, levemente rosada. Acompanha um arrozinho branco e courgetes laminadas, salteadas com alho. Uma delícia!

O vinho era um Encosta da Estrela, um vinho muito agradável e fora do comum, mas talvez um pouco “forte” para mim. No entanto acompanhou divinalmente esta refeição!

Experimentem! ;)

Explosão de Sabores

Quarta-feira, Abril 8th, 2009

Nesta Páscoa, como em todas as outras Páscoas que passámos em Vale de Cambra, fomos abastecer-nos de doçarias à Criju. É sempre uma maravilha para os sentidos…

Este ano trouxemos um sortido de “amêndoas” digno de uma família real! O interior das drageias eram variados: além das típicas amêndoas havia avelâs, noz, noz pecan, banana, o interior dos Maltesers, e chocolate. Os revestimentos eram igualmente emotivos: chocolate preto, branco e de leite, chocolate picante, açúcar, cacau em pó, café e moka. As formas, de redondas às típicas amêndoas, passando por ovos e “clusters”, evidenciavam a panóplia de sabores e texturas que iríamos descobrir.

Além dos doces divinais, a Criju tem também “pacotes de amêndoas” muito originais e criativos, longe de qualquer coisa que se possa encontrar em hipermercados ou centros comerciais. Coloridos, divertidos, sofisticados, fofos, grandes ou pequenos, é fácil encontrar a nossa felicidade na diversidade proposta.

Altamente recomendada, a Criju reflete aquilo que eu gosto de ver no comércio tradicional: propõe produtos diferentes, únicos até, muito difícil ou dispendioso de encontrar no comércio em massa. Além disso é dinâmica, propondo sempre coisas novas. É assim que conquista a sua clientela, e a mantêm. Um exemplo para muita gente.

Quando passarem por Vale de Cambra, não se esqueçam de dar um saltinho à Criju; quando provarem um dos seus deliciosos bolos-rei de frutos secos, vão ficar convencidos…

Les délices de Bretagne

Quarta-feira, Outubro 29th, 2008

On a reçu il y a quelques jours une colis de France. C’était de une amie française de ma épouse, et le contenu a fait notre jour! C’était des boites de Gavottes crêpes dentelles, une merveilleuse délice Bretonne que j’adore!

[foto]

En plus, il y avait aussi une boite de biscuits de Bretagne, et une petite boite de caramels.

[foto]

J’ai pas encore goûté les caramels, mais les biscuits son très, très bons! Ils était très bons, parce qu’on les a déjà mangé… Ma petite fille a aussi aimé les biscuits, et ne voudrait plus ses biscuits pour bébé. Comme je la comprend!…

Merci Cecile!

Líquido de Ouro

Terça-feira, Setembro 2nd, 2008

O meu jantar de ontem foi uma maravilha! Tenho de partilhar isto, porque este Mundo está repleto de produtos de baixa qualidade. Muito nos tentam impingir porcarias, fabricadas a pensar na redução máxima de custos e tempo de produção (assim como no máximo lucro). Eu tento procurar produtos mais tradicionais, produzidos com gosto e a pensar na qualidade (mesmo que tenha de sacrificar a quantidade que compro).

Assim, ontem ao jantar provei um azeite novo, e deliciei-me! O belo manjar de Carapau grelhado (comprado a um senhor que se esforça para oferecer qualidade), batata cozida e feijão verde (do quintal da minha santa sogra), tão bem preparado pela minha linda esposa (vá lá, fui eu que acendi o fogareiro e grelhei o peixe, também fiz alguma coisa! :) ), foi tornado ainda mais especial pelo toque do azeite Ouro d’Elvas, um azeite de quinta (de Ortigão Costa).

E claro, a garrafa ao lado da do azeite é do vinho verde tinto do meu sogro, colheita de 2007. Normalmente o vinho branco combina melhor com a maioria dos peixes, mas essa regra não é set in stone. Este tinto é muito suave e combinou na perfeição com o prato. Mas sobre o vinho falo noutra ocasião! ;)

O Ouro d’Elvas é um azeite muito delicado, que cresce na boca suavemente. Nunca sendo agressivo na boca, mostra bem a sua presença na comida, compactuando com esta sem querer monopolizar o sabor. É tolerante ao vinagre, não mostrando uma pronunciada “guerra” com este (mesmo apesar de o ter “misturado” com um vinagre com alguma alma, elevé en fût de chêne). Enfim, o Ouro D’Elvas revelou-se uma pérola de azeite, que se bem me lembro não foi muito mais caro do que um azeite corrente das marcas mais conhecidas.

Recomenda-se vivamente que o experimentem!